Crónicas

Resoluções de ano novo: estaremos destinados a falhar?


Até que ponto estamos dispostos a mudar de vida e principalmente de hábitos?

Sabem aquela pessoa que acorda todos os dias às 6h, vai ao ginásio, faz yoga, medita e alinha os chakras? Pois, não sou eu. Mas gostava. No futuro serei assim. Nisto dei-me conta que o futuro é hoje. Agora. O ano 2020 está a começar e é tempo de pensar nas resoluções de ano novo. Será uma vida nova?

Há uns dias, enquanto dava uma vista de olhos pelo meu Instagram, li o seguinte: “Não vais ter sempre motivação. Por isso, tens de aprender a ter disciplina”. Não nutro especial simpatia por frases motivacionais, mas esta deixou-me a pensar. Sempre tive problemas com a disciplina e sempre fui avessa a rotinas. Os dias iguais aos outros aborrecem-me. Talvez por isso, ao longo da minha vida, tenha abraçado novos desafios com a mesma leveza e intensidade com que abraço a minha filha antes de dormir. Sou atriz por paixão e nutricionista por convicção e, mais recentemente, blogger. Com este percurso, quando me perguntam o que faço, fico sempre embaraçada. Por onde começar? Foi numa dessas ocasiões que encontrei um artigo que dizia: “No futuro será normal ter várias profissões, saltar e oscilar entre ocupações, sem que isso seja mal visto ou sinal de falta de foco”. Estarei a viver fora do meu tempo ou estarei melhor preparada para os desafios que o futuro me reserva? Só que o futuro é já. É hoje. Dei-me conta de que todos vivemos hoje no que ontem achávamos que seria um futuro longínquo. A humanidade mudou tanto num curto período de tempo que, certamente, o futuro da minha filha será muito diferente do meu passado. Assim, enquanto escrevia esta crónica, que deveria ser sobre as minhas resoluções para o ano de 2020, dei por mim a pensar: “Caramba, isto afinal não é assim tão simples”.
Com o ritmo frenético em que a maioria de nós vive, o segredo para o próximo ano talvez seja olhar mais para dentro do nosso próprio mundo. Não há tempo: esse sacaninha que, por vezes, corre, mas, por vezes, também, somos nós que corremos com ele. Quantas vezes, depois de deitar a miúda, não estou a vaguear de forma inútil pelas redes sociais e acabo por me deitar tarde e a más horas? Sinto que vivo permanentemente ON. Quantas vezes, quando estou com minha filha, não pego no telemóvel e troco umas mensagens ou embarco em conversas no Whatsapp? Estamos sempre em vários sítios ao mesmo tempo e, na maioria das vezes, não estamos em lado nenhum. Sempre com a sensação de que ficou alguma coisa por fazer… Vivemos com a cabeça ocupada, como a ponte 25 de abril em hora de ponta. Para encontrar maior equilíbrio em mim, o meu desafio será tentar contrariar esta tendência: em 2020 preciso, finalmente, de arranjar uma rotina. Começarei por me deitar mais cedo e não perder tanto tempo nas redes sociais ou com programas de tv sem qualquer interesse. Vou tentar acordar à mesma hora e fazer exercício físico, pelo menos 3 vezes por semana. Para mim, o exercício é uma forma de estar em equilíbrio, mas, vá lá saber-se porquê, arranjo mil desculpas para sabotar uma simples ida ao ginásio. Finalmente, depois de ir buscar a Francisca à escola, o telemóvel ficará restrito apenas a chamadas urgentes. E, aquilo que poderão parecer pequenos e insignificantes passos para muita gente, acreditem que serão passos gigantes e poderosos para uma indisciplinada inveterada como eu. Desejem-me sorte!

 

SANDRA SANTOS
Atriz, nutricionista e blogger

instagram: @papinhas_da_xica

Blog: www.papinhasdaxica.pt


Leave a Comment