Aprender & Lazer

Aprender & Lazer

Voltar atrás

FÉRIAS MÁGICAS NA FLORESTA

FÉRIAS MÁGICAS NA FLORESTA

O contacto com a natureza está no top das preferências da maioria das famílias, por isso, as férias na floresta e no bosque estão a ganhar cada vez mais adeptos.

Ninguém divida que o contato com a natureza permite um crescimento e uma infância saudável – imunidade, memória, sono, capacidade de aprendizagem, sociabilidade, capacidade física – e ainda contribui para o bem estar integral das crianças. As evidências apontam que os benefícios são mútuos: assim como os petizes precisam da natureza, a natureza precisa dos mais novos à sua volta!


FÉRIAS DE VERÃO NA FLORESTA

O Movimento Bloom propõe um conjunto de atividades designadas por oficinas, dirigidas a crianças dos 6 aos 12 anos. Cada oficina tem a sua própria história e formato criativo, materiais, esconderijos mágicos e o seu próprio objetivo ecológico. É uma combinação única de teatro, ciência, artes, artesanato e espetáculo. A metodologia de aprendizagem aplicada inspira-se no método Flow Learning ® (Joseph Cornell, EUA) e assenta em atividades lúdicas. Por meio do brincar, o participante – criança ou adulto – entra em contato com aspectos subtis da natureza e aprofunda as suas relações consigo mesmo, com as outras pessoas e com o mundo natural.
Mais informações AQUI.

 


POÇA DE LAMA- ESCOLA DA FLORESTA

Na Escola da Floresta as atividades são baseadas no método Forest School com a missão de valorizar o contacto das crianças com o mundo natural e promover aprendizagens integradas no desenvolvimento holístico.
Mais informações AQUI

 

 

BENEFÍCIOS DAS VIVÊNCIAS NO CAMPO:

 

ESTIMULA OS SENTIDOS
Brincar na Natureza estimula a criatividade. Por exemplo, os brinquedos são construídos e reinventados a partir de recursos encontrados durante a brincadeira. O pau transforma-se em espada, a folha em barco… Existem muitos estudos que revelam que nos espaços verdes da escola as crianças brincam de forma mais criativa e cooperativa.

APRENDIZAGEM MAIS ATIVA
Nas escolas que oferecem oportunidades de aprendizagem no espaço exterior, fora da sala de aula, existe uma melhoria significativa no aproveitamento dos alunos em diferentes áreas do conhecimento.

FAVORECE OS VÍNCULOS SOCIAIS
As crianças que brincam ao ar livre com regularidade de forma não dirigida e estruturada têm uma capacidade superior de conviver com os outros e, na generalidade, são mais felizes.

INSPIRAÇÃO À CONCENTRAÇÃO
O acesso à natureza aumenta o equilíbrio e a autorregulação em miúdos que vivem na cidade.

ESTIMULA A ATIVIDADE FÍSICA
As crianças que brincam em diferentes ambientes naturais são fisicamente mais ativas fisicamente, mais conscientes sobre a sua alimentação e mais cuidadosas com o outro.

DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA
A natureza é importante em cada um dos diferentes aspetos do desenvolvimento infantil: intelectual, emocional, social, espiritual e físico.

TRAZ BENEFÍCIOS DIRETOS À SAÚDE
O contato com a natureza pode reduzir os sintomas de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade, do stress e da obesidade na infância.

MELHORA A NUTRIÇÃO
As crianças que plantam os próprios alimentos são mais propensas a comer frutas e vegetais e têm um conhecimento maior sobre nutrição levando a hábitos alimentares saudáveis por toda a vida.

CONTRIBUI PARA A CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
A criança que convive com o meio natural e desenvolve afinidade em relação à natureza aprecia e zela pelo mundo à sua volta porque o respeita e o reconhece como seu.

DESPERTA O CONSUMO CRÍTICO E CONSCIENTE
As crianças que crescem em contacto com o ambiente natural têm mais hipóteses de construir uma base de experiências concretas, diretas e reais, baseadas em valores diferentes da lógica do consumo, na direção da afetividade, da beleza natural e da simplicidade.

DESENVOLVE A COMPETÊNCIA E A RESILIÊNCIA
O ser humano aprende a avaliar e a correr riscos. Garantir à criança o brincar ao ar livre é proporcionar uma variedade de situações em que terá a autonomia de escolher os riscos que quer correr, gerenciá-los e aprender com eles. E, dessa forma,  chegará à vida adulta mais confiante e resiliente, com capacidade para lidar com as adversidades da vida.

Publicado em 21 Jun. 2021 às 15:08

O contacto com a natureza está no top das preferências da maioria das famílias, por isso, as férias na floresta e no bosque estão a ganhar cada vez mais adeptos.

Ninguém divida que o contato com a natureza permite um crescimento e uma infância saudável – imunidade, memória, sono, capacidade de aprendizagem, sociabilidade, capacidade física – e ainda contribui para o bem estar integral das crianças. As evidências apontam que os benefícios são mútuos: assim como os petizes precisam da natureza, a natureza precisa dos mais novos à sua volta!


FÉRIAS DE VERÃO NA FLORESTA

O Movimento Bloom propõe um conjunto de atividades designadas por oficinas, dirigidas a crianças dos 6 aos 12 anos. Cada oficina tem a sua própria história e formato criativo, materiais, esconderijos mágicos e o seu próprio objetivo ecológico. É uma combinação única de teatro, ciência, artes, artesanato e espetáculo. A metodologia de aprendizagem aplicada inspira-se no método Flow Learning ® (Joseph Cornell, EUA) e assenta em atividades lúdicas. Por meio do brincar, o participante – criança ou adulto – entra em contato com aspectos subtis da natureza e aprofunda as suas relações consigo mesmo, com as outras pessoas e com o mundo natural.
Mais informações AQUI.

 


POÇA DE LAMA- ESCOLA DA FLORESTA

Na Escola da Floresta as atividades são baseadas no método Forest School com a missão de valorizar o contacto das crianças com o mundo natural e promover aprendizagens integradas no desenvolvimento holístico.
Mais informações AQUI

 

 

BENEFÍCIOS DAS VIVÊNCIAS NO CAMPO:

 

ESTIMULA OS SENTIDOS
Brincar na Natureza estimula a criatividade. Por exemplo, os brinquedos são construídos e reinventados a partir de recursos encontrados durante a brincadeira. O pau transforma-se em espada, a folha em barco… Existem muitos estudos que revelam que nos espaços verdes da escola as crianças brincam de forma mais criativa e cooperativa.

APRENDIZAGEM MAIS ATIVA
Nas escolas que oferecem oportunidades de aprendizagem no espaço exterior, fora da sala de aula, existe uma melhoria significativa no aproveitamento dos alunos em diferentes áreas do conhecimento.

FAVORECE OS VÍNCULOS SOCIAIS
As crianças que brincam ao ar livre com regularidade de forma não dirigida e estruturada têm uma capacidade superior de conviver com os outros e, na generalidade, são mais felizes.

INSPIRAÇÃO À CONCENTRAÇÃO
O acesso à natureza aumenta o equilíbrio e a autorregulação em miúdos que vivem na cidade.

ESTIMULA A ATIVIDADE FÍSICA
As crianças que brincam em diferentes ambientes naturais são fisicamente mais ativas fisicamente, mais conscientes sobre a sua alimentação e mais cuidadosas com o outro.

DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA
A natureza é importante em cada um dos diferentes aspetos do desenvolvimento infantil: intelectual, emocional, social, espiritual e físico.

TRAZ BENEFÍCIOS DIRETOS À SAÚDE
O contato com a natureza pode reduzir os sintomas de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade, do stress e da obesidade na infância.

MELHORA A NUTRIÇÃO
As crianças que plantam os próprios alimentos são mais propensas a comer frutas e vegetais e têm um conhecimento maior sobre nutrição levando a hábitos alimentares saudáveis por toda a vida.

CONTRIBUI PARA A CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
A criança que convive com o meio natural e desenvolve afinidade em relação à natureza aprecia e zela pelo mundo à sua volta porque o respeita e o reconhece como seu.

DESPERTA O CONSUMO CRÍTICO E CONSCIENTE
As crianças que crescem em contacto com o ambiente natural têm mais hipóteses de construir uma base de experiências concretas, diretas e reais, baseadas em valores diferentes da lógica do consumo, na direção da afetividade, da beleza natural e da simplicidade.

DESENVOLVE A COMPETÊNCIA E A RESILIÊNCIA
O ser humano aprende a avaliar e a correr riscos. Garantir à criança o brincar ao ar livre é proporcionar uma variedade de situações em que terá a autonomia de escolher os riscos que quer correr, gerenciá-los e aprender com eles. E, dessa forma,  chegará à vida adulta mais confiante e resiliente, com capacidade para lidar com as adversidades da vida.

15:08